sábado, 8 de junho de 2019

Cantor Devinho Novaes tem shows no São João cancelados na BA após ser acusado de agressão por ex-namorada


Prefeituras das cidades de Camaçari e Alagoinhas informaram que decidiram cancelar apresentações do artista, que aconteceriam agora em junho, após a repercussão do caso.

As prefeituras de Camaçari, na região metropolitana de Salvador, e Alagoinhas, a 180 quilômetros da capital, cancelaram os shows do cantor Devinho Novaes, que seriam realizados no São João, após o artista ter sido acusado de agressão pela ex-namorada, a modelo Aylle Santiago.

Aylle fez postagens no stories do seu perfil no Instagram, na madrugada de quarta-feira (5), relatando que, durante os nove meses que conviveu com ele, foi vítima de agressão física e verbal por parte do artista, que é natural de Sergipe e ficou famoso como o 'boyzinho do arrocha' após gravar músicas como "Alô dono do bar' e 'Como a culpa é minha'.

Por meio de notas enviadas pela sua assessoria, Devinho nega as acusações e lamenta o que chama de "pré-julgamento que estão fazendo acerca de todas as notícias que estão circulando envolvendo seu nome". Ele ainda disse que ficou triste após saber do cancelamento dos shows.

Aylle expôs fotos e prints de conversas entre ela e Devinho e relatou que flagrou o sergipano diversas vezes com outras mulheres, dentre elas garotas de programa.

Em uma das postagens a modelo ainda escreveu que foi agredida após uma cirurgia. "Eu estava operada e ele rasgou minha roupa e chutou meus seios que ainda estavam com pontos", postou. Ela não informou quando e nem onde essa agressão aconteceu.


Em seu perfil no Instagram, Devinho gravou uma série de vídeos falando sobre sua história de vida e afirmou que "enquanto as pessoas tentam me derrubar, eu apenas sigo minha vida da melhor maneira". "Eu sou uma pessoa de caráter, uma pessoa do bem, nunca destratei ninguém, nunca tratei mal ninguém. Eu falo a verdade", afirmou.

Devinho postou série de vídeos falando sobre sua história e afirmou que "enquanto as pessoas tentam me derrubar, eu apenas sigo minha vida da melhor maneira"

A prefeitura de Camaçari, onde Devinho se apresentaria no dia 22 de junho durante o "Camaforró", disse que o show dele foi cancelado e que outra banda se apresentará na programação. O nome da atração que irá substituir o cantor ainda não foi informada.

"A Prefeitura repudia qualquer situação de violência e incentiva que mulheres que passam por essa situação denunciem seus agressores", informa trecho da nota enviada pela prefeitura de Camaçari.

A prefeitura de Alagoinhas, por sua vez, informou, por meio da assessoria de comunicação que decidiu suspender o show de Devinho, que estava marcado também para o dia 22 de junho, por conta da investigação sobre a denúncia, que considerou grave. A prefeitura informou que ainda não decidiu se haverá uma substituição na festa.

Confira abaixo as notas que a acessoria do cantor divulgou:

Primeira nota (divulgada na quinta-feira, dia 6):

"O cantor Devinho Novaes vem a público informar que repudia com veemência as recentes polêmicas envolvendo seu nome, sobretudo no que diz respeito a fatos circunscritos à sua vida pessoal.

Devinho confia no reestabelecimento da verdade, declara que jamais adotou tais condutas e não concorda com nenhum tipo de violência.

O artista está à disposição das autoridades e do público para o que se fizer necessário ao esclarecimento das supostas ilações recentemente ventiladas nas redes sociais e imprensa.

ASSESSORIA JURÍDICA"

Segunda nota (divulgada nesta sexta, dia 7)

"O cantor Devinho Novaes lamenta o pré-julgamento que estão fazendo acerca de todas as notícias que estão circulando envolvendo seu nome e agradece o apoio de todos os fãs e amigos.

Sobre os shows que foram cancelados nas cidades de Alagoinhas/BA e Camaçari/BA, o artista recebeu a notícia com tristeza, mas acredita no restabelecimento da verdade e na justiça de Deus para que todos os fatos sejam esclarecidos e solucionados o quanto antes.

O artista reforça que repudia as acusações e que tais condutas nunca fizeram parte do seu comportamento.

ASSESSORIA DE IMPRENSA"

Fonte: G1


Publicidade


3 dicas de como usar estampa de onça e outros animais


Animal print é, sem dúvida, uma daquelas estampas que nunca saem de moda. Entra e sai temporada e a padronagem se mantém presente. A última Semana de Moda de Nova York está aí para provar isso.
Marcas como Calvin Klein, Tom Ford, Diane Von Furstenberg, Carolina Herrera e Michael Kors trouxeram o animal print de volta às passarelas e a estampa promete bombar nas próximas estações.

A estampa de onça é a mais popular, porém as padronagens estilo zebra, cobra, tigre e dálmata também fazem sua aparição nas passarelas e no street style.

Além disso, como diferencial, a última NYFW trouxe as estampas de animal print em versões mais coloridas e divertidas, fugindo um pouco dos tons clássicos.

Separamos aqui algumas dicas de como usa-las. Confira!

Misture as Tendências 




Foi-se o tempo em que o animal print deveria ser usado como único item tendência do look. A dica é combinar sua estampa de onça, por exemplo, com outras tendências do momento.

Experimente combinar o animal print com peças em vinil. Essa combinação é perfeita para dar aquele ar mais moderninho à produção. Para uma combinação mais sensual, combine a estampa com transparências. Nos pés, uma botinha estilo sock boots deixa a produção completa.

Já para quem gosta daquele mix de estampas, vale experimentar combinar o animal print com o xadrez. A padronagem voltou com tudo e a combinação pode surpreender.

Acessórios com Animal Print 



Quem gosta do animal print, mas ainda não quer se arriscar em produções tão ousadas, a dica é complementar o look com acessórios na estampa.

Um outfit P&B, por exemplo, ficará incrível com uma bolsa com estampa de zebra.

Outra forma fácil de trazer a tendência para os looks é nos sapatos. Não importa as peças que você tenha no guarda-roupa, sempre haverá um calçado em animal print ideal para fechar a produção.

Animal Print da Cabeçaaos Pés 


Para aquelas que querem se jogar no animal print, mas buscam uma forma mais fácil do que fazendo aquela misturinha de tendências, a dica é adotar um total look.

Vista a sua estampa de onça preferida da cabeça aos pés e voilà! Aqui você pode escolher um vestidinho ou um trench coat, ou ainda montar um outfit com saia e blusa do mesmo bichinho, mas não necessariamente com padronagens iguais.

Fonte: Bottero.Net


Publicidade


Humorista Whindersson vai criar app para atendimento psicológico gratuito

O comediante e influenciador digital Whindersson Nunes , 24, quer criar um aplicativo gratuito para oferecer sessões de terapia a quem tem depressão . A novidade e os planos para o app criar vida foram revelados por ele em sua conta no Twitter .

A ideia é que profissionais trabalhem de forma voluntária e ofereçam ajuda de uma hora a alguns usuários. Segundo Whindersson, a produção já está em andamento. No momento, ele está em processo de entendimento sobre como seria a dinâmica do projeto e se certificando de que pessoas que queiram auxiliar sejam realmente profissionais capacitados.


"Que fique claro: não queremos que o profissional formado trabalhe de graça, e sim voluntariamente, tirando uma hora do seu dia para uma consulta de graça em nosso app", disse ele, que agora seleciona currículos de psicólogos e terapeutas .

Recentemente, Whindersson Nunes largou as redes sociais para se tratar de depressão . Ele revelou que não tinha mais vontade de viver e que precisava de um tempo para ficar bem. Sua mulher, a cantora Luísa Sonza , 20, largou um pouco seus compromissos para dar apoio a ele.



"Espero que esse app ajude muita gente como muita gente me ajudou. Não vamos mudar o mundo, mas talvez a gente mude o mundo de algumas pessoas."

Semanas atrás, o comediante fez uma cirurgia de urgência no ânus. Ele também se envolveu em uma polêmica briga com o influenciador digital Carlinhos Maia após não ter ido ao casamento dele.

Fonte: Uol

Publicidade


Eduardo Bolsonaro comemora lei "Neymar da penha"


Na Argentina, onde esteve em viagem ao lado do pai, Jair, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL/RJ) comemorou pelas redes sociais a proposta de projeto de lei apresentado nesta quinta-feira (6) pelo vice-líder do governo na Câmara, Carlos Jordy (PSL/RJ), que agrava a pena de denunciação caluniosa de crimes contra a dignidade sexual. Inspirado na acusação de estupro contra o jogador Neymar Jr., o projeto foi batizado de “Neymar da Penha”.

“Parabéns aos dep. do PSL @cabojunioamaral (MG) e @carlosjordy (RJ) que, atentos ao caso do @neymarjr, protocolaram projetos de lei para agravar pena de mulheres inescrupulosas que acusam falsamente homens de crimes e calúnias. Acredite, tem mulher bandida que faz carreira assim!”, tuitou Eduardo.


Minutos antes, o deputado ainda compartilhou publicação do colega de PSL, Carlos Jordy, ironizando o processo que responde sobre ameaças a jornalista Patrícia Lélis.

“Caso aprovada essa lei retroage para alcançar toda a carreira de denunciação caluniosa da Patrícia Lelis? Rs”, ironizou.



O filho de Bolsonaro foi denunciado em abril de 2018 pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e a previsão de pena no caso de condenação é de um ano a seis meses de prisão.

Fonte: Revista Fórum

Publicidade


O caso Neymar, a síndrome da mulher de Potifar e a alienação parental

Crimes que são cometidos sempre de maneira silenciosa e clandestina, longe das vistas e dos ouvidos das pessoas, e em decorrência disso, faz com que a mera palavra da vítima seja suficiente para iniciar a investigação policial, o processo penal e embasar uma condenação criminal, além de não deixarem vestígios materiais que possam comprovar a prática delituosa.

A síndrome da mulher de Potifar
Potifar foi um personagem bíblico importante que tinha um escravo chamado José que cuidava de seus bens, certo dia, a mulher de Potifar se viu atraída pelo escravo, querendo ter com ele relações sexuais, no que foi rejeitada por José.
Ao ser rejeitada, a mulher de Potifar, por vingança armou para o escravo. Quando este entrou em casa foi agarrado e teve suas vestes arrancadas pela mulher que começou a gritar alegando que o escravo José havia lhe estuprado. Quando Potifar chegou, sua mulher contou-lhe a mentira e ordenou que José fosse preso.


Alienação parental
Distúrbio mental provocado pelo término de uma relação afetiva, de modo conturbado, acontece quando a mulher não aceita o fim do relacionamento e, apenas por vingança, acusa o ex-marido ou o amante de abusos contra os filhos menores, fazendo falsas denúncias de crimes para as autoridades, pondo os filhos contra o ex-marido, influenciando-os a falar mentiras inventadas pela mãe.
Figuras mais comuns do que se parece – com o advento da Lei nº 12.015/2009, que juntou a tipificação dos artigos 213 e 214 do Código Penal, as condutas de estupro e atentado violento ao pudor, a Síndrome da mulher de Potifar e a Alienação Parental ganharam força ordenamento jurídico, já que o crime de estupro passou a não exigir em todas as suas modalidades a conjunção carnal para se configurar, e na maioria dos casos, não deixam vestígios materiais para a comprovação da conduta.

Calúnia, denunciação caluniosa e o caso Neymar
Previstos nos artigos 138 e 339 do Código Penal, os crimes de calúnia e denunciação caluniosa, respectivamente, entram em cena quando casos como o de Neymar são expostos ao público.
A pergunta que fica é: como combater casos como o da Síndrome da Mulher de Potifar e da Alienação Parental? Muitos são trazidos à tona, apenas por causa da mídia e das redes sociais.

O julgamento, a condenação imediata e a busca social por vingança vêm crescendo de forma alarmante na sociedade moderna. As pessoas acreditam na primeira coisa que lhes vem aos olhos, não buscam saber qual é o outro lado da moeda, a demora na solução de casos como esse, a impunição e a insegurança jurídica vêm contribuindo de forma vital para o crescimento desses sentimentos, estamos vivendo tempos sombrios e perigosos.

Fonte: Canal Ciências Criminais

Publicidade

Publicidade Google

Publicidade Google